Páginas

29.5.08

Cartaz 60 Anos da Declaração - Concurso

A Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR - o PR significa Presidência da República), em parceria com a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), abriu Concurso Nacional para escolher o melhor cartaz sobre os "60 Anos da Declaração dos Direitos Humanos".
“A iniciativa faz parte da campanha de comemoração dos 60 anos e por meio dela a SEDH pretende proporcionar a discussão do tema e a sua popularização”, explica Carla Fernanda Silva. Segundo ela, a decisão de realizar o trabalho é fazer com que a Declaração esteja sempre na mente das pessoas. “É importante ressaltar que por meio do ensino e da educação é possível promover o respeito aos direitos e liberdades de cada indivíduo”, avalia.
O concurso faz parte do projeto “Educação em Direitos Humanos: Construindo uma Cultura de Respeito à Democracia e à Justiça, desenvolvido em parceria com a Unesco. A inscrição é gratuita e o prazo para a entrega das propostas vai até 13 de junho de 2008. Serão distribuídos R$ 15 mil em prêmios, sendo R$ 10 mil somente para o primeiro colocado. O regulamento completo está no site da SEDH: http://www.planalto.gov.br/sedh/

Programa

CURSO “História e ações do MNDH”

DIA 31/05/2008:
* 09h00min – Cafezinho;
* 09h30min – Apresentação de cada participante;
* 09h50min – Recepção com Vídeo: Maringá – 5 min;
* 10h00min – Trabalho em grupo (1º texto): “MNDH = História, Missão e Composição”;
* 10h40min – Plenária do 1º texto;
* 11h00min – Leitura e discussão do papel da FIDH;
* 11h20min – Video e debate = “Ações do MNDH” – 33 min;
* 12h00min – Almoço;
* 14h00min – Vídeo: “Trabalho Escravo” – 40 min;
* 14h10min – Trabalho em grupo (2º texto): “Relatório de Gestão e Financeiro”;
* 15h10min – Plenária dos destaques do 2º texto;
* 15h30mn – Vídeo: “Peraí, é nosso direito” – 1ª parte: 16 min;
* 15h45min – Intervalo;
* 16h00min – Trabalho em grupo (3º Texto): “Documento Institucional – Nova versão”;
* 17h00min – Destaques (3º Texto);
* 17h20min – Vídeo do XIII Encontro do MNDH, em Goiânia/2004 – 20 min;
* 18h00min – Encerramento dos trabalhos do primeiro dia.

OBS.: No final do primeiro ou segundo dia, a coordenação do MNDH-PR deverá se reunir para encaminhamento dos trabalhos, programas e planejamentos do MNDH no Estado.

DIA 01/06/2008:
* 08h30min – Café;
* 09h00min – Vídeo: “Trabalho Infantil” – 40 min;
* 09h50min – Trabalho em grupo (4º Texto): “História do MNDH-Paraná”;
* 10h30min – Intervalo;
* 11h00min – Destaques (4º Texto);
* 11h30min - Apresentação por data show e diálogo (5º Texto): “Prioridades nacional de atuação 2008-2010” X Planejamento do Paraná 2008-2009;
* 13h00min – Avaliação e encerramento – Vídeo: O cavalo no fundo do poço – 5 min.

28.5.08

Cronograma do Curso

A assessoria do Curso "História e ações do MNDH" disponibilizará o cronograma na tarde de quinta-feira.

22 confirmados

Até o início da tarde desta quarta-feira (28), 22 pessoas confirmaram participação no Curso "História e ações do MNDH", marcado para este final de semana, em Maringá/PR, conforme relação ao lado. Ainda há tempo para que as entidades do Paraná filiadas ao MNDH façam a confirmação da participação (adiada até quinta-feira), evitando transtornos de última hora na organização do local e recepção para pouso.

26.5.08

Deficiência não limita as pessoas

video
O vídeo que o MNDH-PR recebeu por e-mail é um exemplo de que os que se acham perfeitos podem ser os que às vezes são limitados. A falta de mão, braço, pé ou perna, não é impecilho para quem não limita o corpo, as atividades diárias e a vida. Observe todas as atividades da mãe cuidando de sua criança.

Vídeoconferência de Direitos Humanos

Nesta terça-feira, 27 de maio, das 9h às 12h, pelo sistema Interlegis, haverá videoconferência preparatória à XI Conferência Nacional de Direitos Humanos.
Em cada Assembléia Legislativa haverá uma sala equipada para receber e transmitir sinais de áudio e vídeo para os 27 Estados. Do Congresso Nacional, coordenará o evento o Grupo de Trabalho da Conferência, com as presenças do ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Vannuchi, do representante do Fórum de Entidades Nacionais de Direitos Humanos e do presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, deputado Pompeo de Mattos.
O objetivo é divulgar a Conferência Nacional e fortalecer a mobilização para as estaduais. O GT Nacional dará informações acerca do evento, proporcionando oportunidade para que dúvidas, sugestões e críticas dos parceiros nos Estados sejam respondidas diretamente.
A XI Conferência Nacional de Direitos Humanos terá sua etapa nacional de 15 a 18 de dezembro de 2008, no centro de convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, com delegados eleitos em todo o país. O tema central será a coleta de subsídios para atualizar e rever o Programa Nacional de Direitos Humanos, que orienta as políticas públicas e o orçamento da União para o setor.
O MNDH orienta as entidades filiadas que se encontram em Curitiba ou que estejam passando por lá, que participem da vídeoconferência.

25.5.08

Reunião da coordenação MNDH-PR

Durante o Curso "História e ações do MNDH", a coordenação do MNDH-PR deve se reunir para delinear os próximos passos do Movimento. A reunião no próximo final de semana, foi decidida durante a reunião da coordenação, em fevereiro, quando acertaram que se reuniriam durante os encontros ou cursos do MNDH.

Curso de formação do próximo final de semana

O MNDH-PR, relembra as entidades filiadas que deleguem de dois a três participantes para o Curso "Hístória e Ações do MNDH" marcado para o próximo final de semana:
  • DIAS: 31/05 e 01/06 de 2008;
  • LOCAL: Centro de Pastoral da Arquidiocese (CEPA) - Rua Vereador Joaquim Pereira de Castro, 267 - Vila Santo Antônio, ao lado da Paróquia Santo Antônio.
  • INÍCIO: 08h30min., do dia 31/05;
  • TÉRMINO: 16 horas, do dia 01/06;
  • CIDADE: Maringá/PR.
Informações complementares, AQUI.

22.5.08

Pré-conferências nas regiões

O MNDH-PR solicita a todas as entidades filiadas: Curitiba, Pato Branco, Foz do Iguaçu, Maringá, Sarandi, Apucarana, Cambé e Londrina, além das entidades sociais que desenvolvem atividades de Direitos Humanos em todas as cidades do Estado, que organizem pré-conferências regionais em preparação à Conferência Estadual e Nacional de Direitos Humanos, antes da realização da Conferência Estadual do Paraná, em Curitiba, nos dias 26 e 27 de julho, conforme calendário (Agenda do MNDH-PR) ao lado.

Pré-conferência regional de DH de Maringá

Todas as entidades filiadas ao MNDH em todo o Brasil estão se mobilizando na organização de conferências regionais e estaduais, visando a Conferência Nacional entre 15 e 18 de dezembro, em Brasília/DF. A Conferência Estadual de Direitos Humanos ocorrerá nos dias 26 e 27 de julho e antes, as diferentes regiões do Estado devem realizar pré-conferências preparatórias. A Região de Maringá já marcou a pré-conferência regional para a tarde de 12 de julho, na Casa da Cultura Irmã Antona - Praça Ipiranga - Centro de Sarandi.

21.5.08

Atualizado a História do MNDH-PR

O professor historiador Elias Brandão, ex-conselheiro e ex-coordenador no Paraná do MNDH, atualizou a história do MNDH-PR, estando acessível para conhecimento neste blog, AQUI.

17.5.08

Curso confirmado em novo local

O Curso "Hístória e Ações do MNDH" está confirmado para os dias 31/05 e 01/06 de 2008, em Maringá. Informamos que o curso será realizado no Centro de Pastoral da Arquidiocese (CEPA), na Rua Vereador Joaquim Pereira de Castro, 267 - Vila Santo Antônio, ao lado da Paróquia Santo Antônio, em Maringá/PR e não mais na Chácara do Projeto Social Santa Cruz. Mais informações AQUI.

Café da Manhã de DH, em Maringá

Reuniram-se hoje, 17 de maio de 2008, no Centro de Pastoral da Arquidiocese de Maringá/PR (CEPA), na Vila Santo Antônio, em Maringá, 15 representantes de 09 entidades que trabalham na garantia de direitos humanos de Maringá, Sarandi, Londrina e Cambé para o primeiro café da manhã do ano. O conselheiro nacional do MNDH e membro da coordenação do MNDH no Paraná, Clovis Pereira, apresentou um vídeo sobre acessibilidade e alertou sobre as conferências regionais, estadual e nacional de Direitos Humanos que serão realizadas até dezembro de 2008.
No Café da Manhã os participantes planejaram os eventos do MNDH até o final de 2008, a começar pelo Curso “História e ações do MNDH” confirmado para os dias 31 de maio de 1º de junho de 2008, no Centro de Pastoral da Arquidiocese de Maringá (CEPA), na Vila Santo Antônio. Os participantes de outras cidades serão recebidos para estadia nas casas de moradores da comunidade. A plenária aprovou a idéia de buscar parceiros para a realização dos eventos com a divulgação na página do MNDH-PR. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) foi indicado como documento a ser estudado no Fórum como subsídio para acompanhamento das questões que envolvem criança e adolescente.
Decidiu-se em plenária pelo envio de artigos sobre o combate ao trabalho de criança e adolescentes, para serem publicados no blog do Movimento. A coordenação estadual fará um levantamento sobre a existência ou não de mini-presídios em outros estados e sobre a polícia nas escolas.
Participação das entidades de direitos humanos nas conferências de Direitos Humanos por região, estadual e nacional, em datas a serem confirmadas. Fotos do café.

16.5.08

Café da Manhã de DH

Neste sábado (dia 17), das 08h30min., às 11 horas, o haverá mais um Café da Manhã do FREDH - Fórum Regional das Entidades de Direitos Humanos de Maringá e Região. O Café acompanhado de reunião ocorrerá no Centro de Pastotal (CEPA), na Rua Vereador Joaquim Pereira de Castro, 267 - Vila Santo Antônio, ao lado da Paróquia Santo Antônio,em Maringá.
As entidades sociais que desenvolvem atividades nas áreas de educação, saúde, meio ambiente, cultura, "deficiências", criança e adolescente..., podem comparecer e se tiverem condições, levar alguma coisa para enriquecer o café.

14.5.08

Reunião COPED

Lembramos às pessoas das entidades filiadas ao MNDH que são conselheiros titulares e suplentes do COPED, que no próximo dia 19 de maio (segunda-feira), haverá reunião ordinária, em Curitiba.

13.5.08

Conferência de Direitos Humanos

O MNDH solicita às entidades filiadas que se esforcem para participar da videoconferência em preparatória às conferências estaduais e nacional. Leia abaixo parte do convite encaminhado pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, da Assembléia Legislativa, sobre a Videoconferência e que será conectada com as Assembléia Legislativas de todos os Estados.
A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados realizará, em parceria com a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República e o Fórum de Entidades Nacionais de Direitos Humanos, no dia 27 de maio de 2008, das 9h às 12h, videoconferência, por meio do sistema Interlegis, preparatória à XI Conferência Nacional de Direitos Humanos. Essas entidades coordenarão a videoconferência preparatória.
A videoconferência conectará as Assembléia Legislativas de todos os Estados, a partir da sede do Interlegis, no Congresso Nacional, em Brasília. A dinâmica da videoconferência prevê abertura com orientações gerais. Em seguida, intervenções a partir de todas as Assembléias Legislativas, coordenadas pelos Grupos de Trabalho estaduais ou, onde estes ainda não estiverem formados, pelos presidentes das Comissões de Direitos Humanos das Assembléias. A ordem das intervenções entre os Estados será por sorteio. Cada um terá cinco minutos, que poderão ser usados por um ou mais oradores, de acordo com decisão a ser tomada em cada local. As dúvidas serão esclarecidas pelo GT nacional, de Brasília, que fará o encerramento.
As referidas entidades formam o Grupo de Trabalho Nacional responsável pela XI Conferência Nacional de Direitos Humanos, a ser realizada de 15 a 18 de dezembro de 2008, em Brasília, tendo como tema central a atualização do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH). A Conferência deverá pactuar compromissos e propor diretrizes para as políticas públicas na área, com impactos nos orçamentos federal e estaduais.
O prazo para as conferências estaduais têm início em 1º de maio e encerramento em 15 de agosto. A escolha dos 1.200 delegados priorizará a participação de todos os segmentos e grupos sociais, sendo 60% deles serão escolhidos pela sociedade civil e 40% por órgãos do poder público da área de Direitos Humanos.
Mais informações e esclarecimentos sobre a Conferência podem ser obtidas junto à Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (e-mail cdh@camara.gov.br, telefone 061 3216-6570), à equipe da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (confdh.comunicacao@sedh.gov.br, telefone 061 3429-3076), ou pela página: www.camara.gov.br/cdh

Solidariedade

Os padres brasileiros, residentes no Colégio Pio Brasileiro em Roma, publicaram nesta sexta-feira, 9, uma Carta de Solidariedade aos bispos do Pará que sofrem perseguição e ameaça de morte por causa da denúncia que fizeram da violação dos direitos humanos. Abaixo, a íntegra da carta.
CARTA DE SOLIDARIEDADE
Nós presbíteros, residentes no Pontifício Colégio Pio Brasileiro, provenientes de 67 Dioceses do Brasil, duas Congregações Religiosas, uma Diocese da Angola, seis Dioceses entre Chile, Colômbia, Equador, Venezuela, Panamá, 101 estudantes distribuídos em 11 Pontifícias Universidades em Roma, nos colocamos solidários com os Bispos do Regional Norte II do Brasil: Dom José Luiz Azcona, da Prelazia do Marajó; Dom Flávio Giovenale, da Diocese de Abaetetuba e Dom Erwin Kräutler, da Prelazia do Xingu, que estão sendo perseguidos e inclusive ameaçados de morte por defenderem irmãs e irmãos excluídos e por denunciarem a violação dos direitos humanos na região. A perseguição a estes três pastores da Igreja Povo-de-Deus incomoda e angustia a nós seus irmãos e filhos e a luta deles é também a nossa.
Para nós eles são o sinal do Cristo Ressuscitado que vive no meio do seu povo. Sendo fiéis ao Evangelho, compreendemos que esta também é a nossa missão. “Se me perseguiram, também perseguirão vocês...” (João 15,20). Com Cristo somos alimentados e fortificados, com eles recebemos um forte testemunho da Verdade que nos encoraja. “Todos odiarão vocês por minha causa, mas aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mt 10,22).
Na comunhão em Jesus Cristo, queremos estar juntos aos três profetas agredidos em sua missão. A causa que eles defendem queremos fortificá-la, pois suas denúncias também são nossas: a desapropriação das terras dos indígenas, o abandono dos pequenos agricultores, a exploração sexual de crianças e adolescentes e o tráfico de mulheres, a violência urbana e ameaças às lideranças do povo, a evasão escolar na região, a degradação do meio ambiente e a exploração ilícita de madeiras e o tráfico de drogas. Esta situação nos deixa inquietos e nos exige um testemunho cristão.
Fomos enviados pelas nossas comunidades, bispos e provinciais à formação presbiteral continuada e especializada. A partir de nossos estudos nos sentimos cada vez mais próximos de tantas irmãs e irmãos sofridos e excluídos em nossas regiões e que esperam uma presença e testemunho profético de seus pastores. Temos também consciência, das lutas travadas por tantos homens e mulheres: religiosos e religiosas, presbíteros e bispos, leigos e leigas na defesa da vida junto ao povo na grande Região Amazônica.
Queremos exigir das autoridades competentes investigações sérias e proteção total aos nossos pastores sob ameaças. Esperamos uma posição decisiva para que impunidades e injustiças, frutos do descaso político e da ambição econômica, não prevaleçam. Que o solo verde da Amazônia não se torne árido e sangrento!
Em Cristo Bom Pastor, Ressurrecto e vencedor de todas as ameaças de morte.
Roma - Itália, 09 de maio de 2008.
Pe. Menete Severiano de Melo Junior
Secretário do Conselho dos Alunos

Terror no Oeste do Paraná

A entidade Terra de Direitos", com sede em Curitiba/PR, distribuiu carta sobre a situação de conflito agrário no Oeste do Paraná.
"Milícia Privada da Sociedade Rural e NF volta a atacar trabalhadores sem terra.
Pistoleiros destruíram lavouras, escola e até igreja, utilizando caminhão semelhante ao “caveirão”.
Na madrugada desta quinta-feira, 08/05/2008, uma milícia privada atacou o acampamento do Movimento de Libertação dos Sem Terra - MLST, com mais de 150 famílias, localizado na BR 369, entre os municípios de Cascavel e Corbélia.
O ataque começou às 4h da manhã, quando homens fortemente armados invadiram o acampamento Primeiros Passos, com tratores e retro-escavadeiras, destruindo toda a plantação e estruturas do acampamento, inclusive uma escola e uma igreja. A milícia também chegou em um caminhão que possuía uma grade de ferro conhecida como quebra-mato, utilizada para destruir os barracões, e uma carroceria blindada e com pequenas janelas de onde efetuavam os disparos, uma espécie de “caveirão” - um verdadeiro caveirão do agronegócio.
Mesmo com a chegada da Polícia, a milícia continuou o ataque. Com a chegada de reforço dez pistoleiros foram presos em flagrante. Dentre elas estava Luciano Gomes Resende, um dos seguranças da empresa NF, que também presta serviços à Socieade Rural do Oeste do Paraná, acusado pelo ataque ao acampamento do MST na Fazenda da Syngenta, em outubro de 2007, onde foi assassinado o camponês Valmir Mota de Oliveira, e pelo despejo ilegal do acampamento do MLST na Fazenda Gasparetto, em abril do ano passado.
A região de Cascavel já é conhecida pela violência contra camponeses praticadas por esta milícia, todavia, a certeza da impunidade, já demonstrada nos outros casos, fez com que as ações se tornassem mais ousadas e planejadas, inclusive com o uso de instrumentos mais sofisticados para as ações de destruição dos acampamentos e de terrorismo contra camponeses.
As reiteradas violações de direitos humanos praticadas contra os trabalhadores rurais sem terra na região de Cascavel está sendo alvo de indignação das entidades da sociedade civil e da Igreja. O Arcebispo da Arquidiocese de Cascavel, Dom Mauro Aparecido dos Santos foi até o acampamento prestar solidariedade às famílias e exigiu que os fatos fossem apurados e os mandantes responsabilizados :“vim até o local constatar o que aconteceu para que depois possamos cobrar dos órgãos responsáveis uma providência concreta. Não podemos deixar que esse fato de desrespeito a pessoa humana e as leis seja esquecido. Não podemos permitir que o Paraná se torne uma terra onde o que vale é a lei da bala e funcionários de empresa de segurança escondem a cara dos verdadeiros mandantes”, declarou.
Os agricultores, vítimas do ataque, passaram o dia sendo ouvidos pela polícia civil de Cascavel, enquanto 10 integrantes da milícia permaneciam presos. Numa demonstração de força e afronta mais de 20 fazendeiros foram até a Delegacia para pressionar a polícia. As famílias que tiveram seus barracos destruídos permanecem no acampamento Primeiros Passos, próximo à Fazenda Bom Sucesso, de Orlando Carneiro, temendo que possam ser atacadas novamente. A Secretaria de Segurança Pública do Paraná prometeu que vai manter policiais no local."

Café da Manhã

O Fórum Regional de Entidades de Direitos Humanos (FREDH) de Maringá e região realizará um Café da Manhã no próximo sábado, dia 17 de maio, com as entidades da sociedade civil que desenvolvem atividades de direitos humanos. O Café ocorrerá no Centro de Pastoral da Arquidiocese de Maringá, na Vila Santo Antônio, ao lado da Paróquia Santo Antônio, a partir das 08h30min.

9.5.08

Curso "História do MNDH" - atualizado

Houve alteração no início do Curso "História e Ações do MNDH" e foi atualizado as informações de como chegar no local. Veja abaixo ou por este link: http://mndhparana.blogspot.com/2008/05/curso-histria-e-aes-do-mndh.html

7.5.08

Site do MNDH é super visitado

Em pouco mais de oito meses o novo site do MNDH Nacional já recebeu mais de um milhão, quatrocentos e sessenta mil visitas. Parabéns aos responsáveis pelo abastecimento de notícias. São as novidades que garantirão as constantes visitas em buscas de informações e formação.

MNDH contra a violência sobre os índios no Pará

Face à extrema violência perpetrada por jagunços a mando do rizicultor e prefeito de Pacaraima (Roraima), Paulo César Quartieiro (DEM), que vitimaram pelo menos 10 indígenas da Reserva Raposa Serra do Sol, na manhã da última segunda-feira (5 de abril), o Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) vem prestar irrestrita solidariedade aos agredidos e exigir a mais severa e rápida punição aos responsáveis por este ato hediondo.
O MNDH exige do Supremo Tribunal Federal (STF), do governo do estado de Roraima, na figura de seu governador, José Anchieta Júnior (PSDB), e da Polícia Federal uma ação efetiva para garantir aos grupos indígenas que habitam a Reserva Raposa Serra do Sol a ocupação de uma área que lhes pertence de fato e de direito, sem que venham a ser vítimas de atos brutais como o da última segunda-feira.
Às 5 horas desta segunda-feira, um grupo de 103 indígenas, entre homens e mulheres, iniciou a ocupação de uma área livre de plantação de arroz e afastada da sede. Em pouco tempo, eles construíram quatro malocas (casas) com palha e madeira. Dois funcionários de Quartiero chegaram ao local pilotando motos e ordenaram a saída dos índios. Diante da negativa, foram embora e retornaram com mais três motoqueiros e uma caminhonete.
O grupo de jagunços de Paulo César Quartieiro chegou atirando sem dar qualquer chance de defesa às vítimas.
Eis a íntegra da Nota de Repúdio do MNDH, assim como a descrição do ataque dos jagunços contra os índios.

Bispos marcados para morrer

Os três bispos ameaçados de morte no Pará estiveram em Brasília nesta terça-feira, 6, e confirmaram as denúncias de violação dos direitos humanos na região. Dom José Luiz Azcona, da Prelazia do Marajó; dom Flávio Giovenale, da Prelazia de Abaetetuba, e dom Erwin Kräutler, da Prelazia do Xingu, foram, pela manhã, ao Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) e, à tarde, participaram de uma audiência pública proposta pela Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados. Esteve, ainda, presente o pároco de Anapu, padre José Amaro Lopes de Souza, que também é ameaçado.
De acordo com a Agência Amazônia, há uma lista, pública, de 300 pessoas marcadas para morrer no estado do Pará, afirmou o bispo prelado do Marajó, d. José Luís Azcona, em audiência pública hoje, 6, na Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados. “O tráfico na Amazônia de mulheres e crianças para exploração sexual e a situação dos religiosos ameaçados de morte por combatê-lo”. No mês passado, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pediu às autoridades de segurança pública medidas de proteção para religiosos que integram a lista macabra.
Informações da CNBB e Agência Amazônia.

3.5.08

Curso: História e ações do MNDH

ATENÇÃO: Novo local do Curso

Por deliberação em reunião da coordenação do MNDH-PR, a assessoria de formação (Coletivo de Estudos e Educação em Direitos Humanos de Maringá - CEEDH), planejou uma série de encontros de formação em Direitos Humanos. O primeiro destina-se às entidades filiadas ao MNDH, com a temática: "História e ações do Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH)".

DIAS: 31 de maio e 1º de junho de 2008;

INÍCIO: Às 08h30min., do dia 31 de maio;

TÉRMINO: Às 16 horas do dia 1º de junho;

LOCAL: Centro de Pastoral da Arquidiocese (CEPA), na Rua Vereador Joaquim Pereira de Castro, 267 - Vila Santo Antônio, ao lado da Paróquia Santo Antônio, em Maringá/PR;

CIDADE: Maringá/PR;

PARTICIPANTES: 02 ou 03 pessoas por entidade filiada. A orientação é que não participe apenas uma pessoa por entidade;

OBJETIVOS DO CURSO:

  • Conhecer em profundidade a história do MNDH e as linhas de ações;
  • Estudar o Documento Institucional (DOC);
  • Apresentar e discutir algumas produções do MNDH;
  • Conhecer algumas parcerias e o que é a Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH);
  • Estudar as exigências para filiações de entidades de direitos humanos ao MNDH.
POUSO: Os que residem em Maringá e Sarandi pernoitarão em suas casas.
Os participantes que não são de Maringá pernoitarão na comunidade, não sendo necessário transportar cobertor e roupa de cama, a não ser que deseje.
É de responsabilidade de cada participante toalha de banho e objetos pessoais.

CUSTOS: Como não há recursos previstos para este Curso, cada entidade filiada ou seus participantes deve levantar recursos para o deslocamento.

CONFIRMAÇÃO DA PRESENÇA: Para a organização do Curso e local é necessário a confirmação até o dia 25 de maio, pelo e-mail: mndhpr@gmail.com e cópia para canutobrandao@hotmail.com

EM TEMPO: Agendem mais um outro Curso de 80 horas: "Formação em Educação em Direitos Humanos", nas seguintes datas, iniciando sempre às 08h00 do primeiro dia do curso, com encerramento para as 16 horas do dia seguinte:

  1. - 16 e 17 de agosto de 2008 - suspenso;
  2. - 18 e 19 de outubro de 2008 - suspenso;
  3. - 07 e 08 de março de 2009 - suspenso;
  4. - 09 e 10 de maio de 2009 - suspenso.

Estas 4 etapas de Curso são de 80 horas e é de Extensão, pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), em parceria com o Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) e o Coletivo de Estudos e Educação em Direitos Humanos de Maringá (CEEDH), entre outras entidades filiadas que ajudarão na organização. Os participantes receberão certificados e terá uma taxa mínima de inscrição (cinco reais) por participante para emissão dos certificados pela Universidade.

Espaço reservado aos patrocinadores e apoiadores do Curso "História e Ações do MNDH"

APOIO: Associação de Reflexão e Ação Social (ARAS)

2.5.08

Projetos para Educação em Direitos Humanos

Foi publicado no Diário Oficial da União – seção 3 –, em 02 de maio de 2008, Edital da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH) da Presidência da República, por meio da Subsecretaria de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (SPDDH) para seleção pública de propostas para apoio a projeto para a criação e/ou fortalecimento institucional de Comitês estaduais de Educação em Direitos Humanos e capacitação em Educação em Direitos Humanos. No Edital encontram-se as instruções para a apresentação de projetos por todos que tiverem interesse e preencher os requisitos.

ASSUNTOS PUBLICADOS