Páginas

23.12.07

FELIZ NATAL e 2008

A coordenação, conselho e assessoria pedagógica do MNDH-Paraná desejam a todos
UM FELIZ NATAL
E UM EXCELENTE 2008
Com as belíssimas imagens e música AQUI.

17.12.07

Encontro Nacional do MNDH, em Vitória/ES

Lembramos às entidades filiadas que o Encontro Nacional do MNDH, em Vitória/ES, será realizado de 18 a 21 de abril de 2008.
Um levantamento preliminar indica que a viagem em ônibus de Maringá-Vitória e Vitória-Maringá, custaria em 17/12/2007, R$ 400,00 (quatrocentos reais) por pessoa.
A mesma viagem em avião (gol, ida e volta), adquirida em 17/12/2007, custaria R$ 1.478,00 (um mil, quatrocentos e setenta e oito reais) sem a taxa de embarque.
Caso o Paraná viaje em microônibus de 16 lugares, gastaria aproximadamente R$ 5.000,00 (em valores do dia 17/12/2007) e sairia mais barato que a viagem de ônibus de linha (aproximadamente R$ 315,00 por pessoa), desde que fosse completo.
SUGESTÃO: Cada entidade filiada que pretende viajar para o Encontro Nacional deverá iniciar IMEDIATAMENTE uma campanha de levantamento de fundos* de aproximadamente R$ 450,00 para garantir a ida para o Encontro Nacional e o acerto da anuidade referente ao ano de 2007. Lembramos que somente com o acerto da anuidade é que cada entidade terá direito a voto no Encontro e Assembléia Nacional. Os exemplos acima foram consultados a partir de Matingá, diferenciando-se para mais ou para menos, quando de outra cidade do Estado do Paraná. Nos valores acima não estão inclusos as refeições do trajeto.
.
* Levantamento de fundos = Este pode ser garantido por meio de doações de pessoas, igrejas (padres e pastores), sindicatos, redes de supermercados ou de materiais de construções, políticos... Para isto, é necessário que as entidades filiadas planejem o pedido de doação.

Ressonância magnética no cérebro de 50 adolescentes

Nota pública deixa claro a preocupação de investimentos financeiros em PESQUISA para estudar a "base biológica para a violência em menores infratores". Diz a nota que "a notícia de que a PUC-RS e a UFRGS vão realizar estudos e mapeamentos de ressonância magnética no cérebro de 50 adolescentes infratores para analisar aspectos neurológicos que seriam causadores de suas práticas de infração nos remete às mais arcaicas e retrógradas práticas eugenistas do início do século XX".
Segundo a nota, "enquanto a Universidade se colocar como um ente externo que apenas fragmenta, analisa e estuda este real, sem entender e analisar suas reais implicações na produção desta realidade, a porta continuará aberta para a disseminação de práticas excludentes, de realidades genocidas, de estudos que mantêm as coisas como estão".

Brasil explora mão-de-obra boliviana

O repórter-fotográfico Antônio Gaudério, 49, foi à Bolívia munido de celular com câmera para descobrir como funciona o tráfico de mão-de-obra ilegal que alimenta a cadeia têxtil em São Paulo. Como um dos milhares de bolivianos que buscam emprego no Brasil para fugir da miséria em seu país, trabalhou no Brás (SP) até 17 horas por dia produzindo peças de roupas que abastecem grandes lojas do comércio brasileiro. Os bolivianos trabalham em troca de comida e moradia ou, no máximo, alguns centavos por hora.Até 1.500 bolivianos chegam por mês.Com salários baixos e jornadas de até 17 horas diárias, mão-de-obra irregular abastece confecções paulistas.
Para fiscais, condições de trabalho são degradantes; lojas se comprometem a romper com fornecedores que não respeitam a lei. Nos anexos do MNDH-PR.

14.12.07

Bispo da Bahia faz greve de fome


Desde o dia 27 de novembro, dom Luiz Flavio Cappio, bispo da diocese de Barra – Bahia, encontra-se em jejum permanente e em oração contra o projeto de transposição das águas do rio São Francisco. Ele retomou o protesto depois de dois anos que o presidente Luis Inácio Lula da Silva descumpriu o compromisso assumido em outubro de 2005, de suspender a transposição do Rio São Francisco e iniciar um diálogo amplo com a sociedade.
Várias entidades religiosas e movimentos sociais devem organizar no dia 17 DE DEZEMBRO – próxima segunda feira - UM DIA DE VIGÍLIA E JEJUM SOLIDÁRIO em lugares públicos nos mais diferentes municípios do Brasil.
Algumas da orientações é que sejam produzidas faixas, cartazes, comunicar a imprensa, divulgar em rádios e tvs, convidar as pastorais, movimentos sociais e entidades a se unirem no mutirão de oração e jejum.
As entiades e pessoas que defendem os pobres do Nordeste entendem que a transposição do Rio São Francisco não beneficiará quem de fato precisa e pedem que faça-se chegar a todos os recantos do País a notícia de que o projeto responde a um modelo de desenvolvimento capitalista predatório. Os defensores dos pobres do Nordeste afirmam que querem ver implementadas políticas que se baseiam no respeito à vida e ao meio ambiente.
Assim, cresce a cada dia a adesão - dentro e fora do País - às causas apontadas por Dom Luiz e ao seu gesto político. Para conhecimento de todos, até o momento, a vitória conseguida foram duas liminares determinando a suspensão das obras de transposição por conta de irregularidades do projeto. Apesar disso, o Governo Federal não paralisou as obras e não demonstra nenhuma disposição para o diálogo.
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), após dialogar com o presidente Lula passou a apoiar a greve de fome do bispo e convocou a população do Brasil a fazer no próximo dia 17 de dezembro, um dia de jejum em apoio ao grevista. Conheça os MOTIVOS DO JEJUM e as SUGESTÕES DA CNBB.

Ameaça de morte

Conselheiro Estadual dos Direitos Humanos é ameaçado de morte em João Neiva. O Conselheiro Estadual dos Direitos Humanos, Josely Pinto dos Reis, que esteve em Vitória nesta quarta-feira para prestar Depoimento na Corregedoria Geral do Ministério Público foi ameaçado de morte ao retornar a sua cidade.
Josely protocolou na sede do Ministério Público Estadual informações sobre supostas irregularidades na Prefeitura Municipal de João Neiva. Ele Também esteve no Presídio Feminino de Tucum com o Presidente do CEDH, Isaias Santana, na tentativa de colher informações das presidiárias sobre a morte do bebê Vinicius Martins.
Após as duas atividades o Defensor de Direitos Humanos retornou a sua cidade e chegando lá foi abordado por dois motoqueiros, que disseram a ele em tom ameaçador: “Cê vai morrer seu idiota, você não chegará vivo até janeiro”. Os motoqueiros durante a abordagem permaneceram de capacete para dificultar um possível reconhecimento.
Josely é conhecido no município por sua luta contra as violações de direitos humanos ocorridas na região. Ele integra o CEDH desde 2004 e faz parte da Coordenação do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos de João Neiva/ES.
A denúncia de ameaça foi encaminhada pela Conselheira do MNDH, Marta Falqueto e pelo Presidente do CEDH, Isaias Santana, ao Secretário de Estado da Justiça que é Coordenador Estadual do Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos, Ângelo Roncalli.

12.12.07

Anuidade das filiadas ao MNDH

Solicitamos às entidades do Paraná filiadas ao MNDH que providenciem a contribuição anual ao Movimento Nacional de Direitos Humanos - a ANUIDADE. A anuidade deve ser quitada até o mês de abril de cada ano e será sempre referente ao ano anterior.
O enquadramento na faixa de contribuição será definido pela entidade filiada e em caso de alguma entidade filiada não ter condições de contribuir com a anuidade, deve encaminhar documento da entidade à coordenação do Movimento Nacional de Direitos Humanos, no Estado, solicitando o abono da contribuição, justificado o motivo da solicitação.
O abono somente será aceito pelo MNDH nacional caso endossado pela articulação estadual e/ou regional, após receber documento por escrito, do contrário a entidade fica em débito com o Movimento e sua desfiliação poderá ser solicitada pelas demais entidades filiadas.
Faixas de valores para o pagamento. Escolha uma faixa e contribua:
1. R$ 100,00;
2. R$ 70,00;
3. R$ 50,00.
O MNDH sugere que as entidades preferencialmente optem pelas faixas superiores e o depósito deverá ser feito no Banco do Brasil, Agência 3413-4, Conta Corrente 7915-4 e o comprovante enviado à sede Nacional do MNDH via fax (61) 3273-7320) ou Correio (MNDH: SEPN 506, Bloco "C" subsolo sala 34 - CEP: 70740-503 - Brasília – DF).
O recibo que comprova a quitação das Anuidades será emitido pela Sede Nacional do MNDH e enviado à entidade filiada.
Mais informações sobre a anuidade está na Carta da Sede Nacional às filiadas. Leia na íntegra aqui: http://mndhparana.blogspot.com/2007/05/anuidade-das-filiadas-do-mndh.html

Assassinato em Minas

Nota à sociedade e à imprensa
A Comissão Pastoral da Terra de Minas Gerais, com grande dor, vem denunciar o assassinato de João Calazans, 50 anos, presidente da Associação do Assentamento Chico Mendes, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pingo D´Água, Conselheiro da Mata do Parque Estadual Rio Doce, ex- Secretário Municipal de Meio Ambiente, e ex-Coordenador do Pólo Regional Rio Doce da FETAEMG, e, aos prantos, clamamos por justiça.
Hoje, dia 11 de dezembro de 2007, por volta das 21h00 assassinaram João Calazans com um tiro na nuca, do lado direito, no quintal de sua casa, quando ele estava com a família, no Assentamento Chico Mendes, do Município Pingo D´Água. Ele foi imediatamente para o Hospital de Ipatinga, mas já estava morto quando chegaram ao hospital.
Por ironia cruel João Calazans, importante liderança política e sindicalista dos trabalhadores rurais, teve o mesmo fim de Chico Mendes. Mais uma morte anunciada, João Calazans dedicou sua vida à luta em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, incomodou os latifundiários do Vale do Rio Doce e do Vale do Aço, denunciou a péssimas condições de trabalho e a super-exploração de trabalhadores rurais nas carvoarias da região, que sustentam as siderúrgicas, muitas e intensas foram as lutas travadas.
As terras do Assentamento Chico Mendes foram ocupadas em 1999, e mesmo após a criação do assentamento, as famílias convivem com conflitos devido a morosidade do INCRA, quase 09 anos, sem finalizar o parcelamento da área.
Queremos justiça! Até o momento a polícia não encontrou pistas sobre o assassino. De forma incansável clamaremos por justiça, exigimos dos poderes públicos todos os esforços para encontrar os responsáveis, e a punição desses.
No dia 10 dezembro, nessa semana, a CPT denunciou nacionalmente, o crescimento dos conflitos e da violência no campo da região sudeste.

Fotos dos cafés e seminários do MNDH

A partir de hoje, notícias longas e fotos excedentes estarão disponíveis para consulta nos Anexos do MNDH-PR, podendo ser acessado em http://anexosmndhparana.blogspot.com/. Nos anexos estão as fotos dos cafés de Direitos Humanos realizados pelas entidades da região de Maringá, com a participação de entidades da região de Londrina, além das fotos dos seminários e assembléias do MNDH-Paraná e do MNDH Regional Sul, ambos realizados no ano de 2007. Confira e divirta-se.

11.12.07

Entidades do Paraná filiadas ao MNDH

Relação das 22 entidades que desenvolvem atividades de Direitos Humanos no Paraná, filiadas ao Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), 2007-2009:
  1. ASSOCIAÇÃO CASA CAMINHO DA ALEGRIA DE LONDRINA - Rua Regina Marques Felicio, 50 - Conjunto Maria Cecília - CEP 86085-370 - CONTATO: Juliana Aparecida Caetano (44) 3321-2432, e-mail: casacaminhoalegria@yahoo.com.br;
  2. ASSOCIAÇÃO DE DEFICIENTES VISUAIS DE LONDRINA E REGIÃO (ADEVILON) - Rua Amapá 16 - CEP 86026-440 – Centro - CONTATO: Clóvis Pereira (43) 9945-5003, e-mail: sknkc7@yahoo.com.br e clovispereira103@hotmail.com;
  3. ASSOCIAÇÃO DE REFLEXÃO E AÇÃO SOCIAL DE MARINGA (ARAS) - Rua Vereador Joaquim Pereira de Castro, 267 - Vila Santo Antonio - CONTATOS: Carlos Mariucci ou Carla Clara Cunha (44) 3233-7065,e-mail: carladirinto_pr@yahoo.com.br;
  4. ASSOCIAÇÃO DOS UNIVERSITÁRIOS INDÍGENAS DO PARANÁ (AUIP) - CONTATO: Ivan Bribis: (44) 9107-4496, e-mail: ivanbribis@yahoo.com.br;
  5. ASSOCIAÇÃO INDIGENISTA DE MARINGÁ (ASSINDI) - Rodovia BR 376 – Lote 72 - Gleba Patrimônio Maringá - Caixa Postal, 1457 - CEP 87013-923 - CONTATO: José Roberto (44) 8821-8360, e-mail: beto_uem@hotmail.com;
  6. ASSOCIAÇÃO MARINGAENSE DE AUTISTAS (AMA) - Rua Ubirajara, 173 - Jardim Lucianópolis - CEP 87080-430 - CONTATO: Maria Ilda Queiroz de Souza (44) 9921-7461, e-mail: amamaringa@bol.com.br;
  7. ASSOCIAÇÃO UNIÃO E CONSCIÊNCIA NEGRA DE MARINGÁ (AUCN-Mgá) - Av. Brasil, 3746, sala 218 - CEP 87013-903 - CONTATO: Alaor Gregório de Oliveira ou Eva dos Santos Coelho (44) 3226-5512, e-mail: afro_eva@yahoo.com.br;
  8. CENTRO COLETIVO DE DIREITOS HUMANOS DE APUCARANA (CCDH-APC) - Rua Pernambuco, 290 - Jardim Apucarana - CEP 86800-970 - CONTATOS: Mário – Pastoral Diocesana (43) 8802-9341 ou Pastor Valdenir Dutra (43) 9954-2760, e-mails: jornalpulsando@diocesedeapucarana.com.br ou ccdhapucarana@yahoo.com.br;
  9. CENTRO DE DIREITOS HUMANOS ANTÔNIO TRÊS REIS DE OLIVEIRA (CDH-APC - Rua Rio Branco, 147 - Centro - CEP 86800-120 - CONTATOS: Marli de Castro (43) 9976-8376, e-mail: sindspa@uol.com.br ou seessa@ibest.com.br e Ivo Maia Pereira (43) 9117-7141;
  10. CENTRO DE DIREITOS HUMANOS DE FOZ DO IGUAÇU (CDH-Foz) - Rua Cisne, 596 – Portal da Foz - CEP 85868-370 - CONTATOS: Olírio Rives (45) 9975-3466 (Olírio), e-mail: oliriorives@brturbo.com.br ou Mauro Andrade da Silva, e-mail: mauromasster@gmail.com;
  11. CENTRO DE DIREITOS HUMANOS DE LONDRINA (CDH-Ldna) - Rua das Canélias, 16 – Parque Ouro Branco - CEP 86042-020 - CONTATO: Gil (43) 9994-1029, e-mail: festgil7@hotmail.com;
  12. CENTRO DE DIREITOS HUMANOS DE PATO BRANCO (CDH-Pato) - Rua Tapuia, 15 – Bairro industrial - CEP 85506-540 - CONTATOS: Maria Benildes ou Belony Maria Balland (46) 9918-1624, E-mail: beloballand@bol.com.br;
  13. COLETIVO DE ESTUDOS E EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE MARINGÁ (CEEDH-Mgá) - Rua Rio Ligeiro, 849 - Parque Residencial Tuiuti - CEP 87043-200 - CONTATOS: Maria Aparecida Cecílio (44) 9962-4521, e-mail: maacecilio@hotmail.com; Kiyomi Hirose (44) 9139-4396, e-mail: khirose@uem.br ou Elias Brandão (44) 9952-0877, e-mail: canutobrandao@hotmail.com;
  14. COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DE SARANDI (CDH-SRD) - Rua D. João VI, 1888 – Jardim Independência - CEP 87114-060 - CONTATOS: Elena Maria da Silva (44) 9126-7262, e-mail: elena_silva_30@hotmail.com ou Salete Eduardo de Souza (44) 9911-0569, e-mail: souzalet@hotmail.com;
  15. GRUPO TORTURA NUNCA MAIS DE CURITIBA (GTNM-Ctba) - Rua Voluntários da Pátria, 475, 19º andar, Conjunto 1907 – Edifício Asa - CONTATO: Narciso Pires (41) 3079-1759 ou 8401-2874, e-mail: narcisopires@gmail.com;
  16. INSTITUTO DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DE CURITIBA (IDDEHA) - Rua Reinaldino S. de Quadros, 89 - Alto da XV - CEP 80050-030 - CONTATOS: Paulo Pedron ou Luiz Antonio Tannous (41) 3363-3103, site: http://www.iddeha.org.br e-mail do Luiz Tannous: luiztannous@iddeha.org.br
  17. ONG: MÃES JUSTIÇA E PAZ VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DE MARINGÁ - Rua Princesa Izabel, 809 – Zona 4 - CEP 87014-090 - CONTATO: Florestina Mancha (44) 8806-3673, e-mail: floresmacha@hotmail.com;
  18. PROJETO SOCIAL SANTA CRUZ DE MARINGÁ / Associação Civil Carmelitas da Caridade - Rua Pioneira Amália Carzone Baltazar, 226 - Jardim Rebouças - CEP 87083-620 - CONTATO: Irmã Verônica Terezinha Hergesell (44) 3265-7052, e-mail: veravedruna@yahoo.com.br;
  19. SOCIEDADE BENEFICENTE ESTRELA DA MANHÃ – Casa Emaús - MARINGÁ - Rua Profª Letícia de Paula Molinari, 239 – Jardim Imperial - CEP 87023-400 - CONTATOS: Cláudia, Marcelo ou Eduardo (44) 3263-9963, e-mail: casadeemaus@wnet.com.br;
  20. UNIÃO DOS DEFICIENTES FÍSICOS DE CAMBÉ (UNIDEFI) - Rua Rio Grande do Norte, 161 - Caixa Postal, 179 - CEP 86180-970 - CONTATO: Aminadabe Martins ou Solange Aparecida de Oliveira (43) 3154-9480, e-mail: unidefi1981@yahoo.com.br;
  21. UNIÃO DOS MUTUÁRIOS E MORADORES DE APUCARANA (UMMA) - Rua Prof. João Candido Ferreira, 308 – Sala 5 - CEP 86800-000 - CONTATO: Aurita Ferreira Bertolli (43) 8805-0250, e-mail: aurita.ferreira@terra.com.br;
  22. UNIÃO DOS PROFISSIONAIS DO SEXO DE MARINGÁ (UMPS) - Rua Joubert de Carvalho, 445 – Centro - CEP 87013-200 - CONTATOS: Arinéia Maria Martins Gonçalves David Lopes Fernandes (44) 9982-4999, e-mail: umps@teracom.com.br.

10.12.07

A assembléia do Regional Sul do MNDH

Trinta organizações filiadas ao MNDH na Regiào Sul do Brasil (SC, PR e RS) estiveram reunidas em assembléia regional nos dias 07, 08 e 09 de dezembro, em Lages, SC. A assembléia é preparatória ao XV Encontro/Assembléia Nacional do MNDH, previsto para abril de 2008 e foi precedida de assembléias estaduais...
A assembléia elegeu para conselheiros nacionais no biênio 2008-2009, um representante do Paraná e outro do Rio Grande do Sul, sendo, respectivamente, Clóvis Pereira e Paulo César Carbonari. Como suplente foi eleito Sérgio Homerich, de Santa Catarina. A assembléia também indicou Cynthia Pinto da Luz para compor a Coordenação Nacional. Deixam o Conselho Nacional, Elias Brandão, do Paraná, e Cynthia Pinto da Luz, de Santa Catarina. Paulo César Carbonari também deixará a Coordenação Nacional. Um resumo completo sobre a Assembléia regional encontra-se na página do MNDH, VISITE-A hoje e sempre.

Juiz jurado de morte no MS

Odilon de Oliveira, de 56 anos, estende o colchonete no piso frio da sala, puxa o edredom e prepara-se para dormir ali mesmo, no chão, sob a vigilância de sete agentes federais fortemente armados.
Oliveira é juiz federal em Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul na fronteira com o Paraguai e, jurado de morte pelo crime organizado, está morando no fórum da cidade. Só sai quando extremamente necessário, sob forte escolta. Em um ano, o juiz condenou 114 traficantes a penas, somadas, de 919 anos e 6 meses de cadeia, e ainda confiscou seus bens. Como os que pôs atrás das grades, ele perdeu a liberdade. ‘A única diferença é que tenho a chave da minha prisão.’ Clique AQUI para ler a matéria.
Fotos e texto recebido por e-mail.

Entrevista à CBN sobre os 59 anos da Declaração

O conselheiro nacional do Movimento Nacional de Direitos Humanos no Paraná, Elias Canuto Brandão concede entrevista à CBN-Maringá/PR, sobre os 59 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Seminário em Lages/SC

O Seminário e Assembléia do Regional Sul do MNDH, foi de alto nível nos três dias de realização. O evento iniciou na sexta-feira a noite (07/12/2007) com entrega de prêmios a defensores de Direitos Humanos do Estado de Santa Catarina e continuou no sábado com estudo sobre memória e verdade dos Direitos Humanos, seguido de análise e avaliação dos trabalhos e planejamento de ações do MNDH em cada Estado.
No domingo (09/12/2007), o evento voltou-se à Asembléia eletiva e homologativa das coordenações dos três estados (PR, SC e RS) e das homologações de novas entidades que se filiaram ao MNDH. A previsão é que a partir de 2008 o MNDH tenha aproximadamente 500 entidades filiadas. Em breve um relato mais detalhado sobre o Seminário e Assembléia.
Fotos: Belony Balland (Pato Branco/PR)

Em Maringá/PR, o fim de uma canafístula centenária

Ninguém, absolutamente ninguém está conseguindo impedir as agressões do prefeito do Município de Maringá, Sílvio Barros II contra a natureza naquele município. As árvores da cidade estão sendo dilapidadas – cortadas sem o mínimo respeito. A administração atual – nos últimos três anos – tem sido alvo de constantes denúncias de derrubadas de árvores sem o devido cuidado e respeito. O pior é que os órgãos públicos ambientais responsáveis pela proteção do meio ambiente parecem nada fazer na defesa e proteção das árvores e do meio ambiente.
Na manhã deste domingo (09/12/2007), enquanto a população de Maringá ainda descansava, uma luta estava sendo travada entre defensores do meio ambiente e a arbitrariedade da administração municipal: impedir a derrubada de sete araucárias de aproximadamente 50 anos e uma canafístula nativa de aproximadamente 120 anos. Objetivo dos cortes: modernização da cidade. Pelo entendimento da gestão pública atual, as árvores, assim como os pobres, os pedintes e os andarilhos parecem enfeiar a cidade e devem ser eliminados.
Na tentativa de proteger a canafístula, o jornalista ÂNGELO RIGON – maior blogueiro na cidade – subiu e permaneceu na árvore na manhã do domingo por aproximadamente três horas para impedir seu tombo fatal. Enganado pelos soldados da FORÇA VERDE que informaram que a árvore estava fora de risco e que somente na segunda-feira seu futuro seria discutido, desceu da canafístula e a decorrência foi o corte da canafístula. Um REPRESENTANTE DO MUNICÍPIO - mesmo sem ordem judicial especificando a ação - manda a polícia agir contra um manifestante que tenta proteger a árvore centenária.
O Movimento Nacional de Direitos Humanos, no Paraná (MNDH-PR), que entre suas 400 entidades filiadas no Brasil integra várias de defesa do meio ambiente, tem a tristeza de registrar que na data de 10 de dezembro de 2007, exatamente 59 anos após a Declaração Universal dos Direitos Humanos ter sido aprovada pelos países que compõem a Organização das Nações Unidas (ONU), já não mais temos a canafístula e suas parceiras de convivência –as araucárias. Todas agonizaram de forma bárbara e cruel no domingo (09/12/2007) aos sons de motos serras e gritos festivos dos mandantes e executores do crime ambiental.
O que mais o MNDH pode externar? Decepção total. O Movimento Nacional entende que ações contra o crime ambiental podem ser impetradas sobre os responsáveis diretos de defesa e proteção do meio ambiente: o gestor público de Maringá (prefeito, secretário do meio ambiente e diretor jurídico), o responsável pelo Instituto Ambiental do Paraná e em Maringá (IAP), o responsável pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis no Paraná e em Maringá (IBAMA), o promotor público do meio ambiente em Maringá e os magistrados partícipes.

7.12.07

A Declaração Universal 59 anos depois, em Maringá

O Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), o Fórum Regional de Entidades de Direitos Humanos de Maringá e Região (FREDH), o Coletivo de Direitos Humanos de Maringá (CDH-Maringá) e a Comissão de Direitos Humanos da OAB-Subseção-Maringá (CDH-OAB), convidam a imprensa, as entidades e todos(as) interessados(as) para um "Reflexionamento/Avaliação dos 59 anos de vigência da Declaração Universal dos Direitos Humanos". Todos e todas estão convidados.
DIA: 10 de dezembro de 2007 (segunda-feira)
LOCAL: Auditório da OAB-Maringá - Av. Juscelino Kubtschek de Oliveira, 970
HORAS: 19h30min às 22 horas.
CIDADE: Maringá/PR
OBJETIVO: Reflexionamento/Avaliação dos 59 anos de vigência da Declaração Universal dos Direitos Humanos

6.12.07

Doação de livros para presídios

As entidades de Direitos Humanos do Paraná filiadas ao MNDH, devem continuar a campanha de doação de livros para os presídios no Estado. Orientamos que os livros já recebidos sejam doados aos presídios neste dia 10 de dezembro, dia em que comemora-se a criação da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948-2007), por meio de um ato amplamente divulgado.

Lages - Lista dos participantes

Saída de Maringá: 07/12/2007 (sexta-feira):
* 20h00min. - MARINGÁ/PR - Sairá da Avenida Brasil, em frente a Praça Raposo Tavares;
* 20h15min. - SARANDI/PR - Em frente ao Shopping Sharuá;
* 20h40min. - MANDAGUARI - Ao lado da Rodoviária;
* 21h30min. - APUCARANA/PR - Ao lado da Rodoviária (embarcarão os participantes de Londrina, Cambé e Apucarana).
.
Viajarão no micro-ônibus - 16 lugares:
  1. APUCARANA – Ivo Maia Pereira – Centro de Direitos Humanos Três Reis – CDH-APC;
  2. APUCARANA – Natalício Jesus Pinheiro – Centro de Direitos Humanos Três Reis – CDH-APC;
  3. APUCARANA – Paulo Sérgio Rodrigues Pesce – União Municipal de Moradia de Apucarana – UMMA;
  4. CAMBÉ – Anderson Henrique Moreira – União dos Deficientes Físicos – UNIDEFI;
  5. CAMBÉ – Solange Aparecida de Oliveira – União dos Deficientes Físicos – UNIDEFI;
  6. LONDRINA – Aparecido de Andrade – Casa Caminho da Alegria;
  7. LONDRINA – Clóvis Pereira – Associação dos Deficientes Visuais de Londrina e Região – ADEVILON;
  8. LONDRINA – Junior César Santiago Alonso – Associação dos Deficientes Visuais de Londrina e Região – ADEVILON
  9. MANDAGUARI – Carla Clara Cunha - Associação de Reflexão e Ação Social – ARAS;
  10. MARINGÁ – David Lopes Fernandes – União Maringaense dos Profissionais do Sexo – UMPS;
  11. MARINGÁ – Eva dos Santos Coelho - União e Consciência Negra;
  12. MARINGÁ – José Roberto Severino – Associação Indigenista de Maringá – ASSINDI;
  13. MARINGÁ – Claudinei Marcoline - Associação Indigenista de Maringá - ASSINDI;
  14. MARINGÁ – Maria Ilda Queiroz de Souza – Associação Maringaense dos Autistas - AMA;
  15. MARINGÁ – Verônica Terezinha Hergesell – Projeto Social Santa Cruz;
  16. SARANDI – Ismael Alves da Silva – Comissão de Direitos Humanos – CDH-SRD;
Viajarão em ônibus de linha:
CURITIBA – Luiz Antonio Tannous – IDDEHA;
CURITIBA – Márcio Flávio Pereira da Silva - IDDEHA;
PATO BRANCO – Maria Benildes Domingues - CDH-Pato;
PATO BRANCO – Belony Maria Balland - CDH-Pato;

5.12.07

Lages/SC - Local do Seminário e Assembléia

DIAS: 07 a 09 de dezembro de 2007
LOCAL: Casa de Formação - Avenida Papa João XXIII, 1095 - Bairro Petrópolis – Fone: (49) 3222-2242 - (49) 9982- 0519
CIDADE: Lages/SC
OBSERVAÇÕES:
* Podem participar duas pessoas de cada entidade filiada;
* Levar toalha e material de higiene;
* NÃO precisa roupa de cama;
* Serão ressarcidas as despesas de transporte (ônibus ou gasolina), alimentação e hospedagem, desde que apresente Nota Fiscal ou recibo (exemplo de taxi) em nome da Sociedade de Apoio aos Direitos Humanos. Os que viajarem de ônibus de linha, ao chegarem na Rodoviária em Lages, pegar um taxi para a Casa de Formação e não esquecer de pegar o recibo para ressarcimento;
* Levar materiais das entidades para serem distribuídos ou vendidos.

Lages/SC - Programação

07/12 (sexta)
Acolhida dos Participantes.- Motivação inicial - aprovação da agenda
ENTREGA DO IX PRÊMIO ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS – Projeto Promotoras Legais do CDH de Lages
ENTREGA DE MENÇÃO HONROSA PADRE SELL – LAGES/SC
COQUETEL

08/12 (Sábado)
Oficina Direito à Memória e à Verdade
09:00 - Exposição e Debate
Tema: Significado do Direito à Memória e à Verdade - expositores: Elias e Cynthia
10:30 - Intervalo
11:00 - Trabalho em grupos sobre: estratégias para construir a luta pela Memória e a Verdade
12:30 - Almoço
14:00 - Exposição e Debate
Tema: Memória da Luta pelos Direitos Humanos no Brasil - 25 anos do MNDH - expositores: Geral (Paulo C Carbonari)
Mais uma pessoa por estado para apresentar a memória estadual (e a situação atual a partir das Assembléias Estaduais)
16:00 - Intervalo
16:30 - Trabalho em grupos sobre: Desafios para a luta pelos direitos humanos no Brasil e na Região Sul
17:30 - Plenária de apresentação do acumulado nos dois trabalhos de grupo
Definições em Plenário
19:30 - Noite de Integração

09/12 (Domingo)
09:00 - Apresentação e Debate do acúmulo da próxima Assembléia Nacional - expositor: Paulo César Carbonari
10:00 - Exposição e Debate sobre processo de transição e composição da Coordenação Nacional
10:30 - Intervalo
11:00 - Eleição de Conselheiros/as Nacionais e indicação para Coordenação Nacional
11:30 - Aprovação de novas filiações
12:00 - Encaminhamentos para participação na Assembléia Nacional e outros
12:30 - Almoço de encerramento.

ASSUNTOS PUBLICADOS